O mestre e o sino

Um novo estudante aproximou-se do velho mestre e perguntou-lhe como ele poderia absorver seus ensinamentos de forma correta.  O jovem estava muito ansioso para ter todas as suas perguntas respondidas.


“Pense em mim como um sino” – o mestre explicou.

“Me dê um suave toque, e eu irei lhe dar um pequeno tinido.  Bata-me com força e você receberá um alto e profundo badalo.”

Se você não está encontrando uma resposta é porque você não está fazendo a pergunta certa para o seu mestre interior.

Bjs e abraços,

Fabricio =)

Anúncios

O mestre e o escorpião

Certa vez, ao caminhar às margens de um rio, um velho mestre viu um escorpião que se afogava e decidiu tirá-lo da água, mas quando o fez, o escorpião lhe picou.

Como reação à dor, o mestre soltou-o e o animal caiu na água e, de novo, estava se afogando.
O mestre tentou tirá-lo outra vez, e novamente o escorpião o picou.

Um jovem curioso que passava pelo mesmo lugar tinha observado tudo em silêncio, mas indignado com o que acabara de ver ele se aproximou do mestre e disse:

– Perdão, mas você é muito teimoso! Não entende que cada vez que tentar tirá-lo da água, ele o picará?

O mestre respondeu:

– A natureza do escorpião é picar e isso não muda a minha natureza, que é ajudar.

Então, com a ajuda de um galho, o mestre retirou o escorpião da água e salvou-lhe a vida.

Não mude a sua natureza se alguém lhe magoar. Apenas tome as devidas precauções.

Por pior que seja uma situação, a natureza de outras pessoas não deve mudar o que você realmente é.


Bjs e abraços,

Fabricio =)

O que você precisa aprender é único!

Certa vez, um jovem aprendiz de artes marciais estava desanimado com seu nível técnico, pois por mais que ele treinasse ele se sentia estagnado e preso.
Então ele decidiu conversar com seu mestre sobre o que ele devia fazer.

“Mestre, o senhor me conhece, eu jamais deixei de treinar um único dia. Sempre me empenhei diante dos seus ensinamentos, mas não consigo atingir o nível que tanto almejo.”

“Relaxe mais” – disse o mestre. “Você leva tudo muito a sério. Procure se distrair, saia com seus amigos! Você precisa deixar que a arte faça parte de você e para que isso aconteça sua mente precisa estar calma e alegre.”

De repente eles foram interrompidos por um discípulo mais velho que passou diante deles cambaleando.
Então o jovem ficou observando as palavras do mestre para seu amigo, que por sinal sempre se encontrava bêbado.

“Não há necessidade de beber tanto assim para você se divertir. Treine mais, seja mais disciplinado! Você já sabe tudo o que deveria saber neste momento, então seja mais a sério e coloque em prática!”

O discípulo mais velho, apesar de estar muito embriagado, ouviu as palavras do mestre em silêncio e retornou para sua casa.

Vendo que as palavras do mestre eram contraditórias, o jovem discípulo respondeu de forma indignada:

“Mas mestre! Como o senhor pode fazer isso?! Tudo o que o senhor disse para ele é exatamente o contrário do que o senhor disse para mim!”

Foi então que mestre com um leve sorriso no rosto respondeu:

“A harmonia não segue padrões.
Cada pessoa precisa de um caminho para se iluminar.

E não importa o caminho, todo rio sempre desagua no mar.”

~ Escrito por Fabrício – osconselheiros.com

Beijos e abraços,

Fabricio =)

Nas mãos do destino

Um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas.

No caminho para a batalha ele parou em um templo e disse aos seus homens:

“Após eu visitar o relicário eu jogarei uma moeda. Se a Cara sair, iremos vencer; se sair a Coroa, iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos.”

Nobunaga entrou no templo e fez uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A Cara apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente.

Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso:

“Ninguém pode mudar a mão do Destino!”

“Realmente não…” disse Nobunaga mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a Cara impressa nos dois lados.

O destino é o que você ACREDITA E FAZ do seu momento presente!


Bjs e abraços,

Fabricio =)

O sábio e o pássaro

Conta-se que certa vez um jovem maldoso e inconsequente resolveu pregar uma peça em velho mestre.

– Quero ver se esse velho é realmente sábio, como dizem – pensou – Vou esconder um passarinho em minhas mãos. Depois, em presença de seus discípulos, vou perguntar-lhe se está vivo ou morto. Se ele disser que está vivo, eu o esmagarei e o apresentarei morto. Se ele falar que está morto eu abrirei a mão e o pássaro voará.

Realmente, uma armadilha infalível, como só a maldade e a ignorância podem conceber.
Aos olhos de quem presenciasse o encontro, qualquer que fosse a sua resposta, o sábio estaria incorrendo em erro.

E lá se foi o jovem mal-intencionado com sua armadilha perfeita.

Diante do ancião acompanhado dos aprendizes, fez a pergunta fatal:

– Mestre, este passarinho que tenho preso em minhas mãos, está vivo ou morto?

O sábio olhou bem fundo em seus olhos, como se examinasse os recônditos de sua alma, e respondeu:

– Meu filho, o destino desse pássaro está em suas mãos.


A decisão sobre o que fazer com sua vida sempre está em suas próprias mãos.


Bjs e abraços,

Fabricio =)

O tolo que era sábio

Todos os dias Nasrudin ia pedir esmolas na feira, e as pessoas adoravam vê-lo fazendo o papel de tolo, com o seguinte truque:
Mostravam duas moedas, uma valendo dez vezes mais que a outra. Nasrudin sempre escolhia a menor. Rapidamente a história correu pelo condado.

Dia após dia, grupos de homens e mulheres mostravam as duas moedas, e Nasrudin sempre ficava com a menor. Até que apareceu um senhor generoso, cansado de ver Nasrudin sendo ridicularizado daquela maneira. Chamando-o a um canto da praça, disse:
– Sempre que lhe oferecerem duas moedas, escolha a maior. Assim terá mais dinheiro e não será considerado idiota pelos outros.

Nasrudin lhe respondeu:

– O senhor parece ter razão, mas se eu escolher a moeda maior, as pessoas vão deixar de me oferecer dinheiro, para provar que sou mais idiota que elas. O senhor não sabe quanto dinheiro já ganhei, usando este truque.

E cheio de sabedoria acrescentou:

– Não há nada de errado em se passar por tolo, se na verdade o que você está fazendo é inteligente. Às vezes, é de muita sabedoria se passar por tolo e é muito melhor passar por tolo e ser inteligente do que ter inteligência e usar fazendo tolices.

“Os sábios não dizem o que sabem, os tolos não sabem o que dizem!”


Bjs e abraços,

Fabricio =)

O viajante e o barqueiro

Um viajante caminhava pelas margens de um grande lago e imaginava uma forma de chegar até o outro lado, onde era seu destino.

Suspirou profundamente enquanto tentava fixar o olhar no horizonte. A voz de um homem de cabelos brancos quebrou o silêncio momentâneo, oferecendo-se para transportá-lo. Era um barqueiro.

O pequeno barco envelhecido, no qual a travessia seria realizada, era provido de dois remos de madeira de carvalho. O viajante olhou detidamente e percebeu o que pareciam ser letras em cada remo. Ao colocar os pés empoeirados dentro do barco, observou que eram mesmo duas palavras. Num dos remos estava entalhada a palavra acreditar e no outro agir.

Não podendo conter a curiosidade, perguntou a razão daqueles nomes originais dados aos remos. O barqueiro pegou o remo, no qual estava escrito acreditar, e remou com toda força. O barco, então, começou a dar voltas sem sair do lugar em que estava. Em seguida, pegou o remo em que estava escrito agir e remou com todo vigor. Novamente o barco girou em sentido oposto, sem ir adiante.

Finalmente, o velho barqueiro, segurando os dois remos, movimentou-os ao mesmo tempo e o barco, impulsionado por ambos os lados, navegou através das águas do lago, chegando calmamente à outra margem.

Então o barqueiro disse ao viajante:

– Este barco pode ser chamado de autoconfiança. E a margem é a meta que desejamos atingir. Para que o barco da autoconfiança navegue seguro e alcance a meta pretendida, é preciso que utilizemos os dois remos ao mesmo tempo e com a mesma intensidade:

“Agir e Acreditar.”

Bjs e abraços,

Fabricio =)

A rocha

O aluno perguntou ao Mestre:

– Como faço para me tornar o maior dos guerreiros?

– Vá atrás daquela colina e insulte a rocha que se encontra no meio da planície.

– Mas para que, se ela não vai me responder?

– Então golpeie-a com a tua espada.

– Mas minha espada se quebrará!

– Então agrida-a com tuas próprias mãos.

– Assim eu vou machucar minhas mãos… E também não foi isso que eu perguntei.
O que eu queria saber era como que eu faço para me tornar o maior dos guerreiros!

“O maior dos guerreiros e aquele que é como a rocha, não liga para insultos nem provocações, mas está sempre pronto para desvencilhar qualquer ataque do inimigo.” – respondeu o mestre.


Bjs e abraços,

Fabricio =)